Danny Negri -Um pouco mais de nossos artistas - XXIV


1)Há quanto tempo você dança?
Estou envolvida com a dança desde os meus 11 anos. Comecei fazendo Ballet clássico e fiquei nesta modalidade de dança por 17 anos até que em 1995 comecei a me envolver e dedicar com a dança do ventre, no qual estou até hoje.

 2)O que te motivou a começar  a Dançar? E quando você teve certeza que era isso que você queria para o seu futuro?
Desde criança eu já gostava de dançar e ensinar. Acredito que nesta época eu já sentia que o meu futuro seria a dança ou algo ligado a arte. Mas certeza mesmo de que estava no caminho certo, tive quando comecei a ver bons resultados e em conseqüência dele receber elogios pelo meu trabalho.

3)Quem foi/ foram suas professoras? Que cursos você fez? Quais foram seus favoritos?
No Ballet vou citar a professora que considero a mais importante para mim, a bailarina Valéria Mattos. Já na Dança do Ventre as duas principais foram, Soraia Zaied  (que atualmente reside no Egito) e Lulu Sabongi
Em relação a Lulu Sabongi sou muito grata pela confiança que sempre depositou em mim e pelas oportunidades de trabalho que me proporcionou quando estava em inicio de carreira.
Mas ainda hoje continuo estudando e participando de workshops com mestres e mestras Egípcia, como por exemplo: Dr.Gamal, Randa e Madame Haquia.
Algo que também contribuiu e muito para melhor entender a dança foram as duas viagens que fiz ao Egito, berço da dança do ventre. 


4)Quais são suas maiores inspirações?
 No ballet Ana Botafogo e na dança do ventre Naima Akef e Orit Maftsir

5) Você sente algum tipo de preconceito,ou discriminação das bailarinas particularmente?Como você lida com isso?
O preconceito pode acontecer de duas formas. No lado profissional, ou seja com pessoas do nosso próprio metié , onde  acredito que o problema esta muitas vezes nas pessoas não saberem  lidar com suas próprias frustrações e por isso são iniciados sentimentos como rivalidade e insegurança.
Já o outro preconceito acontece pelo lado das pessoas que não são do meio, mas neste caso eu apenas respeito a opinião de cada um e mantenho o foco no meu trabalho que é bastante sério e desta forma acredito conquistar o respeito das pessoas que são leigas no assunto.



6)Quais os principais benefícios que a dança te trouxe?
Posso  dizer que a auto-confiança e a felicidade de poder trabalhar com algo tão prazeroso.
  

7)Em algum momento durante sua carreira você pensou em largar tudo?
Não em nenhum momento, sempre tive certeza de que a dança seria meu caminho profissional.
8)O que você acha que tem de melhor? Seu ponto forte!
Sou muito disciplinada e responsável. Acredito  que esses dois pontos me ajudam muito. E  estou sempre buscando novas informações, me reciclando, enfim  acredito que essa é uma forma de crescermos sempre como profissional e pessoa.
 
9)Nos conte um sonho de consumo,um sonho impossível,e um já realizado.
Alguns dos meus sonhos eu já realizei, posso incluir neles viagens para lugares que queria muito conhecer. Não sou uma pessoa que tenha sonhos impossíveis, acho que neste aspecto sou pé no chão demais!!(risos)
Mas posso citar um sonho que tinha e foi realizado, o reconhecimento do meu trabalho , sem duvida nenhuma isso para mim foi e sempre será algo muito especial.

10)Como você define seu estilo?
Meu estilo eu defino como clássico.  Gosto de uma dança limpa, com braços definidos, que tenha delicadeza e suavidade.

11)Quais são seus projetos atuais e futuro?
Meu projeto é continuar com a dança e proporcionar o bem – estar às minhas alunas. Penso em um dia  ter um espaço onde possa trabalhar com terapia para mulheres e também com  projetos sociais.

12)E pra fugir um pouco a regra nos fale de você:  Sua cor preferida,comida favorita,time de futebol,cantor preferido,um filme inesquecivel,uma pessoa muito importante.Como é a Danny pessoa...
Adoro viajar e conhecer outras culturas. Tenho paixão por animais e até penso em um dia ter um orfanato para os animais abandonados. Também sou uma pessoa que adoro passear , almoçar e jantar com minha família. Gosto muito de ver filmes e tenho uma preferência pelos Europeus , o meu favorito é o  francês “O Marido da Cabeleireira”, que é maravilhoso.
Também curto ir ao teatro. Algo que gosto muito de fazer é conhecer pessoas e ouvir as suas histórias, sou uma ótima ouvinte.(risos)


13)O que você acha dos concursos,selos,padrões? Eles realmente influenciam em algo?
Eu acho que são validos, até já fiz parte de bancas de jurado e ainda faço em alguns concursos. Mas como eu venho de uma escola acadêmica onde tudo é coreografado acho um pouco complicado avaliar um improviso, pois nem sempre a bailarina mostrará todo o seu potencial desta forma e ainda temos que lembrar do nervosismo, muito comum nesta hora.Claro esta é minha opinião.Uma vez , tive a oportunidade de assistir uma bailarina muito importante dançar um improviso e o que aconteceu foi que ela perdeu a música completamente, e desde então tive a certeza que nem mesmo uma profissional do Egito consegue dançar bem um improviso sem conhecer a música antes.Para improvisar é preciso conhecer muito bem a musica antes da apresentação e nem sempre a bailarina tem esta sorte.
Outra coisa complicada que vejo nas bancas são as divergências com relação ao gosto pessoal de cada jurada. Isto acontece porque na dança do ventre não temos uma escola, cada profissional trabalha uma linha diferente e isso é complicado também.
Mas o que acredito ser mais importante para uma bailarina é seguir o seu trabalho de forma séria e buscar profissionais competentes para aprender.Desta forma o concurso será  apenas algo que irá acrescentar no seu trabalho e claro, isso se a bailarina tiver interesse em participar. 



14)O que você acha,que tem de mais errado no mundo da Dança? Em que ponto ficam coisas a desejar?
Acho apenas que as bailarinas profissionais deveriam ter a preocupação em se reciclar mais e também terem cuidados com suas alunas para não machucá-las fisicamente. 
 
15)Qual o conselho que você daria a quem esta começando agora?
Eu aconselho  ter paciência e pesquisar muito antes de começar a fazer aula.  E a outra dica é: Não deixe de dançar nunca!!! (risos)   





 Bellydancer Danny Negri - Executado no Café Aman - Maio de 2008.



Solo de percussão com a bailarina Danny Negri e os músicos Thiago El Faruk (derbake) e Leandro Negri (baixo acústico), na 12° Noite Oriental, realizada em 29 de novembro de 2009.



Dança de casal (Raksa) com os bailarinos Danny Negri e Tarik, na 11° Noite Oriental, realizada em 25 de novembro de 2008.



Site da Danny: www.dannynegri.com.br
Esse foi nossa entrevista com Danny Negri.Espero que tenham gostado,e aprendido um pouquinho mais.
Entrevista realizada por Nanda Salima.

Comentários

Nossa,adorei ela.
Que videos legais!!!
Parabens Danny!
Milena Monteiro disse…
Minha prof lindissima!